22 janeiro 2015

Matéria do Jornal O Povo


09 janeiro 2015

Conhecendo o Self-Healing


Márcia no centro com a turma e eu de camiseta branca com os novos amigos do Self-Healing

 
Há muitos anos meu pai, falecido há sete anos, ficou cego, vítima de um ataque fulminante de glaucoma, doença ocular que causa lesões no nervo óptico. Era um feriado quando acordou sem enxergar. Um médico do pronto socorro o examinou e atestou que a cegueira era irreversível. Meu pai era alfaiate e pintor. Olhei para o médico e garanti: Ele voltará a enxergar. O médico insistiu que não tivessemos esperanças. Levei-o a vários especialistas, o diagnóstico foi o mesmo. Um dos melhores cirurgiões em oftalmologia da época recusou-se a operá-lo para diminuir a pressão que não baixava com os colírios apropriados e lhe causava dores de cabeça fortíssimas, alegando que o globo ocular explodiria com o contato com o bisturi.

Meu pai era um estudioso da ciência espírita, eu descrente. Mas a pedido dele o levei a um centro de cirurgia espiritual no Rio de Janeiro, o Tupyara. Entrou não enxergando nada, tendo a mim como guia, e na saída teve uma visão do degrau da escada. Fiquei muito intrigada. Achei que podia ser ilusão, mas realmente havia uma escada no lugar que ele apontava. Fez mais de 20 cirurgias espirituais e aos poucos passou a ver sombras. Encontrei um médico jovem que aceitou correr o risco de operá-lo. Foi uma cirurgia bastante arriscada, mas ele conseguiu normalizar a pressão, abrindo caminho para uma segunda cirurgia de implante de uma lente alemã, que devolveu  a meu pai a visão de um dos olhos. Visão que conservou  até o último dia de sua vida.

Neste longo processo de recuperação conheci o trabalho de um ucraniano, Meir Schneider, que nasceu com catarata, astigmatismo e nistagmo, sendo declarado oficialmente cego aos sete anos de idade. Condição que ele nunca aceitou. Ao conhecer um método de estimulo visual do oftalmologista William Bates (1860-1931), dedicou-se com determinação aos exercícios para os olhos, aliando-os a técnicas de Yoga, automassagem e movimento. No livro que conta a sua história ele descreve um dos exercícios que me emocionou bastante. Jovem, se plantava diante de um prédio de apartamentos que não conseguia enxergar e imaginava os contornos do mesmo. Até o dia em que conseguiu, assim como meu pai com a escada, visualizar uma parte da janela.
Anos após recuperar a visão criou o método Self-Healing, obtendo absoluto sucesso em doenças consideradas incuráveis como a esclerose múltipla, distrofia muscular, poliomielite, artrite reumatóide, e demais males degenerativos. Recentemente, uma amiga querida foi diagnosticada com uma dessas doenças. Lembrei-me do método e fui pesquisar. Para minha grata surpresa descobri uma associação que aplica o método no Brasil e hoje fui participar de um encontro nas areias da praia de Copacabana. Os exercícios eram voltados para a melhora da visão e pude praticá-los sobre a orientação da instrutora, psicóloga e terapeuta Márcia Mackenzie. Acolhida pela turma, após uma hora praticando os exercícios de reeducação visual, tive consciência do quanto uso mal a visão física e como ela se tornou mais nítida, enxergando detalhes que mesmo com os óculos eu tinha dificuldade de perceber.
Quem quiser saber mais sobre o assunto:

O livro de Meir Schneider chama-se “Uma Lição de Vida”

O site de Márcia Mackenzie é www.marciamackenzie.com

E o do Self-Healing é www.absh.org.br
Por Wal Ferrão
 

 

11 anos sem Priscila

 
Hoje, 09/01/2015. 11anos sem saber noticias, sobre o que aconteceu com Priscila, minha única filha! Muito triste! Essa não é a palavra, mas não tem outra porque é tão ,tão... sem palavras!
Gostaria de vê-la casada, tendo filhos, que ela conhecesse seus sobrinhos ,mas nada! Muito triste. Só Deus mesmo para me dar força e até alguns momentos de paz! Paz porque tive o privilégio de ser sua mãe, e de conviver com ela 29 anos ! Uma das criaturas mais meiga e amorosa que convivi. 
Te amo minha filha !
 
Maria Jovita Vieira, mãe de Priscila
 
Se você tem alguma informação que possa nos levar ao paradeiro de Priscila, entre em contato. Sua identidade será mantida em sigilo.

07 janeiro 2015

Aveia emagrece mesmo?



O primeiro "Conselho de Mãe" do ano de 2015 rendeu tantas visitas, comentários e compartilhamentos na página do Portal Kids no Facebook que resolvemos aprofundar o tema do mingau de aveia, uma receita que há séculos preparamos para os nossos bebês e que rendeu uma pesquisa da conceituada Universidade de Havard, nos Estados Unidos.
Você deve estar questionando como um prato preparado com leite e açúcar para bebês e crianças pode ajudar a emagrecer?  O truque está em substituir o leite integral que usamos para preparar o mingau dos pequenos pelo leite desnatado ou pelo leite sem lactose, leite de arroz ou de amêndoas. E o açúcar pelo adoçante. Essa repórter que vos escreve, que desde junho do ano passado começou a alterar a alimentação em busca de uma vida mais saudável e com o objetivo de perder alguns – está certo! – muitos quilinhos; ontem, depois de ler o Conselho de Mãe, preparou uma pequena tigela de mingau com leite desnatado, adoçante e farelo de aveia, mais indicado para o emagrecimento, pois possui ainda mais fibras que a aveia em flocos, em flocos finos ou em forma de farinha.
Aliás, é nas fibras presentes na aveia se encontra o segredo de seu poder emagrecedor. As fibras ajudam a manter a saciedade, afastando a sensação de fome e inibindo a compulsão. O cereal também possui cálcio, proteínas, vitaminas do complexo B e E. Tudo isso ajuda a melhorar o funcionamento do intestino, a digestão, controla a pressão arterial, a taxa de açúcar no sangue e diminui o colesterol ruim. No mingau de ontem à noite eu acrescentei canela, o que é muito bom, porque a canela é um termogênico natural, ou seja, acelera a perda de peso. Uma amiga jornalista até comentou no Facebook que assim preparado o mingau de aveia é um trunfo da famosa dieta Dukan, criada pelo especialista em medicina alimentar, o francês Dr. Pierre Dukan.
Tem mais dicas interessantes que gostaria de ver publicada na coluna "Conselho de Mãe é Sempre Bom?" Publique nos comentários do blog ou do face do Portal Kids que reproduziremos na coluna.

Por Wal Ferrão

wal.ferrao@portalkids.org.br

 

 

 

23 dezembro 2014

Meu Natal Inesquecível

Você conhece alguém que não se renda a energia boa que costuma surgir no Natal? Troca de presentes, cear com a família ou amigos. Mesmo quem não é religioso ou está numa fase da vida mais contestadora como a juventude, acaba seduzido por sentimentos de solidariedade e união, reflexões que costumam acompanhar a celebração do nascimento de Jesus Cristo.

Dispense a rabanada aquele que não guarda na lembrança uma noite de Natal inesquecível. Neste post você vai conhecer três histórias diferentes e encantadoras de jovens ligados a nossa instituição. Aproveitamos para desejar a todos um Natal inesquecível e que 2015 seja um ano de ficar nas boas lembranças.
 
Duda com 5 anos e hoje aos 14

Maria Eduarda Magalhães Feijó, a Duda, 14 anos, estudante – “Meu Natal inesquecível foi quando ganhei um monte de gibis da Mônica (famosa personagem do cartunista Maurício de Souza). Eu tinha 5 anos, estava me alfabetizando e que eu me lembre foi a única vez que escrevi uma cartinha para Papai Noel. Eu gostava da Mônica e sabia que esse presente minha mãe Valéria poderia me dar. Ela costumava ler as revistinhas para eu dormir e fazia as vozes dos personagens.”


 
João hoje e aos 9 anos, enchendo o padrinho Léo de abraços, após ganhar um presente que mais desejava.

João Pedro Araújo, 20 anos, estudante – “Meu Natal inesquecível foi quando eu tinha 9 anos e ganhei de meu padrinho Leonardo Dias da Cruz o videogame que eu tanto queria. Eu não esperava mesmo ganhar esse presente e foi uma explosão de alegria. Lembro que pulei em cima de meu padrinho e fiquei um tempão abraçado a ele. Meus Natais hoje não são mais os mesmos, sinto um vazio, porque meu padrinho faleceu atropelado. Sinto uma falta absurda dele. Léo era mais que um padrinho, era um irmão, um pai."
 
 Charlotte aos 17 anos em Barcelona e hoje em São Paulo, onde passará o Natal
Charlotte Cohen-Tenoudji, 27 anos, professora – “Meu Natal inesquecível foi quando eu tinha 17 anos e viajei pela primeira vez sozinha para Barcelona. Apesar de na noite de Natal ficar sozinha assistindo um filme, a viagem foi maravilhosa. Circulava pela cidade que estava toda enfeitada para o Natal e a sensação de liberdade que tive ao viajar sozinha foi especial. Parece que o mundo ficou maior."

19 dezembro 2014

Natal das Mães do Brasil


E se aproxima mais um Natal
Em que tenho que cumprir rituais felizes
Árvore enfeitada, presentes, ceia
Só meu coração sabe o quanto é doloroso
Comprar o presente para o filho que ficou
Sinto-me injusta com ele por esse sentimento
E traindo o filho que não sei onde está
O sabor da ceia é amargo
Mas tenho que fingir alegria
Para que minha tristeza não seja ofensiva
Até conseguir me esconder para chorar
Sem ninguém notar, sem ninguém notar
Quando enfim a festa acaba.
Desabo na cama, mas não consigo descansar
Pensando onde meu filho estará.

A ilustração é da árvore montada pela Mãe do Brasil Elisabete Barros. Ela teve a filha Thais sequestrada na véspera do Natal de 2002. Esse ano, pela primeira vez, com muito sacrifício, conseguiu montar uma árvore para sua família. Sacrifício de amor por sua filha Thais e todos os filhos desta nossa família nascida na dor, mas unida no amor e na solidariedade. Que neste Natal Jesus abençoe nossos filhos desaparecidos. E que abençoe a cada um de vocês que lê está mensagem.


01 dezembro 2014

Amizade para sempre

As Mães do Brasil tem um grupo fechado na Internet que usam para comunicação. Hoje a Mãe do Brasil Raquel Gonçalves postou uma mensagem para todas sobre o valor da amizade. A mensagem é tão interessante que será reproduzida aqui. Leiam e vejam se ela não é um convite a reflexão.
 
AMIZADE PARA SEMPRE.

"Meu amigo não voltou do campo de batalha. Solicito permissão para ir busca-lo", disse um
soldado ao seu tenente
"Permissão negada", replicou o oficial. "Não quero que arrisque sua vida por um homem que provavelmente está morto."
O soldado ignorando a proibição sai e uma hora mais tarde regressou mortalmente ferido. e transportando o cadáver de seu amigo."
O oficial estava furioso.
"Já tinha dito que estava morto! Agora eu perdi dois homens. Diga-me: Valeu a pena ir lá para trazer um cadáver?"
E o soldado moribundo respondeu:

"Claro que sim, senhor! Quando o encontrei ele ainda estava vivo e me disse: Tinha certeza que você viria."
Não importa o que pensam, nem que seja a última vez. Saiba que existe alguém que sabe que você nunca ira desistir de reencontrar!"

 

27 novembro 2014

Mães cobram Polícia Civil por exame de DNA de ossadas que podem ser de suas filhas


Mães na inauguração da Delegacia de Desaparecidos
 
Assim que a Delegacia de Desaparecidos do Rio de Janeiro foi inaugurada, o Portal Kids enviou lista com nome e endereços de contatos das mães das meninas desaparecidas e sequestradas em série no Rio de Janeiro desde 2001 para a realização do exame de DNA das ossadas encontradas no Rio de Janeiro. A promessa é que o chamado para o exame aconteceria em seguida.

Como até agora as mães não foram chamadas e a delegacia não responde aos nossos contatos, elas decidiram ir ontem a nova unidade situada na Cidade da Polícia, no bairro de Jacaré, para cobrar um posicionamento.  O grupo designou duas representantes, já que a maioria trabalha e não pode estar sempre faltando ao emprego. Outras estão muito doentes.

Uma equipe do Portal G1 foi acompanhar o resultado desta visita e a nossa saga para obter esse exame de DNA que vem desde o ano de 2006. Leia a matéria no link!

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/11/maes-cobram-rapidez-em-teste-de-dna-para-identificar-ossadas-de-filhos.html