30 maio 2006

Homenagem a Kat Schürmann


O novo rumo da nossa pequena tripulante...

Pequena apenas no jeito franzino e delicado... Quem a conheceu sabe de sua grandeza e personalidade de atitudes firmes e decididas... Um exemplo de perseverança e de amor à vida.

Desde que nasceu, Kat lutava bravamente para viver e aproveitar intensamente cada instante junto à Família, amigos e à natureza, a qual tanto amava e defendia.

Não era a primeira vez que, rapidamente, um pequeno resfriado transformava-se em um princípio de pneumonia e debilitava a nossa mais jovem tripulante. Mas repentinamente, a vontade de Kat, feito uma forte rajada de vento, enchia o seu espírito de vida e tudo não passava de um susto. Mas desta vez, não deu...

Muitos não sabem, mas Kat era soropositiva desde que nasceu. A adotamos ainda pequena, na Nova Zelândia sabendo de sua condição. Sua mãe já havia partido e o pai viria a nos deixar anos depois.

Claro, sabíamos que seria muito difícil. Kat era muito pequena, o seu estado de saúde sempre foi preocupante. Kat já havia nascido com esse desafio de saúde, bastante debilitada. Quando a conhecemos, exigia sérios cuidados. Mas não poderíamos deixar de dar uma chance àquele anjinho de lutar pela vida. Ela queria viver! Estava em seu olhar!

E foi a decisão mais importante que tomamos na vida!

Com o passar dos anos e a evolução da sua saúde , da medicina e, acima de tudo, da sua vontade, tínhamos a esperança de tê-la entre nós por muito e muito tempo. Mas ontem, 29 de maio, ela partiu...

Acreditem, foram os anos mais felizes de nossas vidas... Kat sempre foi muito especial e deixou mais exemplos e ensinamentos do que muitos que viveram décadas...

São lições que marcarão as nossas vidas e de todos aqueles que com ela conviveram. Kat sempre lutou bravamente contra a doença, sempre debateu a questão do preconceito, a importância do amor e da Família.

A luta de uma criança contra essa doença é inglória! Noites mal dormidas, remédios, mal-estar, hospitais, entre outros fatores, são capazes de tirar a alegria mesmo desses pequeninos cheios de luz e energia.

Mas nada é pior do que o preconceito e a falta de amor! Ela sempre pedia para as pessoas não julgarem as crianças que tinham qualquer limitação, porque ela sempre foi descriminada pelo seu tamanho e forma de caminhar. Mesmo assim, nos últimos dias, Kat manifestava forte vontade de falar da sua luta contra o vírus com os amigos da escola... Se mostrava indignada com a possibilidade de ser discriminada por isso... Estávamos debatendo essa possibilidade.... Ela queria que as pessoas entendessem que somos todos são iguais. Kat queria quebrar esse preconceito. Não houve tempo...

Por isso, decidimos escrever este comunicado. Assim como a chegada de Kat encheu nossas vidas de alegria, dignidade e respeito ao próximo, que a sua partida possa conscientizar a todos da importância do amor, do carinho e da compreensão na vida daqueles que sofrem de algum problema de saúde, não apenas os soropositivos.

Kat foi e sempre será muito amada, viveu intensamente cada segundo de sua vida, conheceu diferentes lugares em todo o mundo e sempre contou com apoio da sua Família. Por isso, temos a convicção de que partiu em paz, cheia de amor e grandes lembranças.

Tenham certeza, fizemos tudo que estava ao nosso alcance.

Infelizmente, essa não é a realidade da maioria das crianças que sofrem de alguma condição de saúde e que convivem com o preconceito, a falta de recursos e de calor humano... O desejo de Kat era mudar tudo isso... Como o nosso era tê-la para sempre!

Nos despedimos da nossa marinheira Kat ontem, em uma cerimônia intima e familiar. Suas cinzas serão levadas para Nova Zelândia, onde ela descansará ao lado de Robert e Jeanne, seus pais biológicos, cumprindo assim, uma promessa que selamos com eles. No próximo sábado, às 17h30 na Capela São João, em Ilhabela-SP, faremos uma homenagem à vida dessa grande menina.

Gostaríamos de agradecer todas as equipes médicas do mundo inteiro que sempre lutaram pela vida da Kat, em especial, a equipe que estava conosco quando ela partiu.

"Em homenagem ao nosso Anjinho, que agora navega nas nuvens do céu"

Família Schürmann

3 comentários:

WalFerrao disse...

Recebi hoje este comunicado e reproduzo no Blog da Mães do Brasil em homenagem a esta "grande menina". Que o amor de sua família e o amor de Deus continue a conduzir sua vida, agora num plano muito mais bonito. Todo o carinho das Mães do Brasil.

Anônimo disse...

gente eu desejo de todo coração mesmo q vocês possam encontrar seu parentes desaparecidos sei como é difícil pois tbm tenho uma tia desaparecida,é ruim ñ saber onde está,como está.Mais pesso a vocês q tenham força e continuem lutando com muita esperança.Um grande beijo.

Ass: Laíssa

Anônimo disse...

CHEGOU UM TEMPO QUE NÃO SE DIZ MAIS MEU DEUS,

TEMPO DE ABSOLUTA DEPURAÇÃO.

TEMPO EM QUE NÃO SE DIZ MAIS MEU AMOR,

PORQUE O AMOR RESULTOU INUTIL

E OS OLHOS NÃO MAIS CHORAM

E AS MÃOS TECEM APENAS O RUDE TRABALHO.

ALGUNS ACHANDO BARBARO O ESPETÁCULO,

PREFERIRIAM OS DELICADOS MORRER.

CHEGOU UM TEMPO EM QUE NÃO ADIANTA MORRER,

CHEGOU UM TEMPO EM QUE A VIDA É UMA ORDEM.

A VIDA APENAS SEM MISTIFICAÇÃO.

*Fraguimentos do poema "Os ombros suportam o mundo"
Carlos Drumond De Andrade

Alessandra Aquino