23 julho 2007

Coral das Mães Cantoras se apresenta para o MST


No último dia 16 o Coral das Mães Cantoras, formado por integrantes do movimento Mães do Brasil e regido pela maestrina Alice Ramos Sena subiu ao palco do auditório da faculdade de Ciências Sociais da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) para cantar para um público com trajetória de luta pelos direitos humanos semelhante a delas: o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra). A apresentação foi uma homenagem da UFRJ aos trabalhadores rurais que durante as férias realizam um curso através de um projeto de extensão na universidade. O Coral das Mães Cantoras iniciou a apresentação cantando Lanterna dos Afogados, de Hebert Vianna, que fala de sentimentos como saudade e espera. As mães foram aplaudidas de pé! Para aliviar a emoção elas convidaram os trabalhadores do movimento e professores da UFRJ a cantar com elas uma música que fala de amor: Querer bem não é pecado, do folclore popular. As Mães do Brasil encerraram a apresentação fazendo uma homenagem aos filhos desaparecidos cantando Gostava Tanto de Você, letra de Édson Trindade, que Tim Maia cantava para a filha de 15 anos, que faleceu num acidente de automóvel.

Homenagem é que não faltou nesta noite: A apresentação foi dedicada a três pessoas muito especiais: o maestro Raimundo Pereira, que faleceu no início do projeto, Ronieri Pereira de Souza, pai de Ronizinho e um dos coralistas mais dedicados de Alice e a pequena Amanda, seqüestrada e assassinada em 2002. Cristiane Nascimento, a mãe de Amanda, e Nicolas, seu irmão de 17 anos, também participam no coral. Outras duas crianças causaram sensação: Sara, nove anos, e Cristiano, 11, ambos resgatados através do Projeto Mães do Brasil, que tem o apoio do Criança Esperança, um projeto da TV Globo em parceria com a Unesco. Os pequenos cantaram entusiasmados ao lado de suas respectivas mães: Maria José e Maria do Socorro.

“A idéia de unir mães e filhos no coral partiu de um desejo das próprias crianças. Estou muito orgulhosa porque além de serem talentosas e cantarem muito bem, as crianças se aproximaram ainda mais de suas mães. Esse coral se transformou num trabalho terapêutico”, explicou Alice a platéia.

Depois da apresentação do Coral Tijucanto, formado por integrantes do Tijuca Tênis Clube, também regido por Alice Sena, os integrantes do MST pediram a volta das Mães do Brasil ao palco e as homenagearam cantando um hino do movimento. Eles presentearam as mães com a bandeira do MST e receberam um cartaz com a foto das crianças desaparecidas prometendo divulgá-lo pelo Brasil.

“Esse apoio é fundamental”, analisa Wal Ferrão, presidenta do Portal Kids. “O Coral das Mães Cantoras foi um dos momentos mais emocionantes desses nove anos que trabalho com as mães. Elas venceram a vergonha, a baixa estima e até a culpa por estarem felizes. É difícil para uma mãe que não sabe onde seu filho está se sentir feliz. No início dos ensaios elas ficaram muito mexidas. Mas o carinho do público mostrou que a culpa é inútil. E principalmente, que conseguiram sensibilizar várias pessoas para o problema do desaparecimento de crianças de uma forma delicada. O nosso maior objetivo no coral foi alcançado. Já fizemos algumas apresentações na UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), local onde é desenvolvido o projeto, mas foi a primeira vez que cantamos fora de casa. Agora queremos cantar nossa busca por essas crianças para todo o tipo de público”, finaliza.

Um comentário:

Karoline disse...

Gostaria muito de elogiar a todas as pessoas que estão a procura da menina Larrisa Gonçalves Santos, pois também sou moradora da barreira do vasco e estou muito sentida com o acontecimento , mas se Deus quiser com a ajuda de vcs a menina irá aparecer.

Parabéns a todos do Projeto do Portal Kids .