23 julho 2010

Vergonha de ser brasileira


Ontem eu e Raquel Gonçalves, tia e tutora da Larissa Gonçalves e uma das integrantes das Mães do Brasil, peregrinamos mais uma vez em nossa luta para descobrir o paradeiro de nossas filhas. Comentei com ela minha tristeza pela morte do pequeno Wesley, assassinado dentro de sua escola no Rio de Janeiro e o quanto estou desacreditada de tudo. São quase oito anos que luto para saber o que houve com minha filha, sequestrada na véspera de Natal do ano de 2002. Estamos aguardando a sentença da Justiça em relação ao suspeito levado a julgamento no final do ano passado pelo sequestro de Larissa. Esse suspeito foi apontado em 2003 como o homem que teria levado Thais de Lima Barros, que é a minha filha.

Há dois meses uma denúncia sobre o paradeiro de minha menina chegou. Levamos o caso a Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro, mas até agora não obtivemos uma resposta. A última vez que lá estive não souberam me informar nem o que foi feito da denúncia. Disseram que a resposta seria dada a CPI da Criança Desaparecida a quem pedimos apoio. Parece que incomodou o fato de termos levado o caso a CPI. Então uma mãe em minhas condições não tem direito de apelar para uma Central Parlamentar de Inquérito? Será que imaginam como são meus dias, minhas horas, meus minutos e segundos sem saber o que foi feito de minha filha e o que ela está passando? Até agora não foi dada uma resposta a CPI. Se não respondem a CPI, que dirá a mim. Estou cansada, desiludida, sem forças. Me sinto impotente, me sinto um lixo. Recorri ao Ministério Público do Rio de Janeiro há meses. Prometeram-me uma reunião e nada. Há quem apelar? Há 20 anos as Mães de Acari começavam sua luta em busca de respostas para o paradeiro dos filhos. O caso jamais foi solucionado. Estou há quase oito. Sinto vergonha de ser brasileira.

Elisabete Barros, coordenadora das Mães do Brasil e mãe de Thais, a sapequinha da foto acima. Quantas saudades minha filha! Jamais te esquecerei!

5 comentários:

*verinha* disse...

Estou solidária e apoio plenamente sua indignação diante da falta de respeito e humanidade dessas autoridades. Imagino o quanto deva ser difícil e doloroso a você e a tantas mães que passam pela mesma situação.. mas não perca nunca a fé e a esperança.. Que o Criador abençoe a todas vocês, dando-lhes força e coragem.

Vera Lúcia Scharlach

Janaína disse...

Oi,
Fico sem palavras para tentar te confortar ou dá uma palavra de apoio, tb sou mãe e dói no meu coração os relatos que vocès passaram ... eu tenho um blog, e gostaria de divulgar o banner de vcs, sei que é muito pouco, mais já é alguma coisa né, meu email é janainaa@gmail.com
Fiquem com Deus
Janaína
o meu blog e http://byjanaina.blogspot.com/ ... caso vcs tenham interesse, é só enviar pro meu e-mail o banner ok

Janaína disse...

ahh já estou seguindo o blog de vcs, assim vou procurar entrar sempre, pra quem sabe um dia poder ajudar melhor !!!

Alessandro disse...

Fico indignado e também com vergonha de ser brasileiro quando fico sabendo dessas coisas. Cadê a investigação? Cadê as autoridades? Está claro que não podemos mais esperar desses incompetentes que achem nosso filhos, porque eles não são capazes nem de achar o trabalho pelo qual são responsáveis fazer. Temos que nos unir e divulgar as fotos, divulgar os cartazes, apelar para mídia e os programas de televisão. Vou torcer para que o culpado seja, enfim, condenado! Vamos ter fé! A divulgação na imprensa é, em especial, importantíssima, já que as autoridades não fazem seu papel! A pressão popular também. Estarei ao lado das mães em qualquer manifestação popular que elas organizarem para chamar atenção do poder público. Podem contar comigo! Essa luta é de todos nós, brasileiros!

Anônimo disse...

Agradeço a solidariedade e o carinho de todos. Deixo aqui um pedido para sempre que possível divulgarem a foto de nossos filhos. Muitas crianças foram localizadas através dessa divulgação. Para o banner basta entrar ao lado, em Clique em "Get Widget" e coloque nossas notícias em seu site!
Que Deus possa abençoar todos vocês. Elisabete.