06 agosto 2010

Tercília relembra o desaparecimento do filho Josemar


"Josemar tinha problemas mentais. Sempre brincava próximo de casa, numa praça muito famosa, porque foi lá que o jogador Romário jogava bola quando era menino. Naquele 07 de junho, um domingo, tinha uma festa junina. Meu filho tinha o problema dele, mas era conhecido e querido por todo mundo. Por volta de 13 horas, ele veio almoçar mas eu ainda não havia terminado de preparar a comida. Chegou com uma pipa na mão que me entregou dizendo que havia ganho. Só depois de muitos anos é que vim a suspeitar que alguém pode ter dado o brinquedo para atraí-lo. Josemar voltou para brincar e não apareceu para almoçar. Mandei os irmãos menores irem buscá-lo. Eles voltaram dizendo que Josemar não estava na praça. Eu mesma saí para procurá-lo. Uma senhora que possuía uma vendinha e gostava muito dele, disse que o viu passar, por volta de 13 horas, em direção à praça. Procurei, registrei queixa na delegacia no dia seguinte, fui em hospitais psiquiátricos , mas nunca tive uma pista. Só seis anos depois, uma pessoa do local me falou que um carro de polícia recolheu alguns meninos que estavam fazendo bagunça na festa. As pessoas tem medo de comentar o que presenciam e quando resolvem falar, já é tarde. Se eu tivesse essa indicação na época, seria mais fácil encontrá-lo. Se bem que não acredito que meu filho tenha sido levado. Só em conversar com ele a pessoa notava que era doente. Meu coração diz que Josemar é vivo. Não acredito que nada de ruim tenha acontecido com ele. Josemar deve estar internado em alguma instituição como acontece com várias crianças que ficam perdidas nesses órgãos. Às vezes me dá medo, porque meu filho sabia dizer o endereço onde morava, o nome de seus pais. Mas prefiro acreditar que não deram crédito às informações dele. Em minhas andanças pelos hospitais e abrigos, cheguei a encontrar vários rapazes nesta situação. Eu perguntava aos funcionários porque não procuravam a família daqueles meninos mas alegavam falta de verba, de condições. Essa é a minha esperança. Tenho fé em Deus que vou encontrar meu filho. Tenho muita lembrança dele. Ainda guardo o material da escola, as roupas e o brinquedo que ele mais gostava: um galinho de plástico que ganhou numa promoção no supermercado. Meu filho vai voltar."

JOSEMAR MALVEIRA desapareceu em 07/06/92, em Vila da Penha (RJ. Peço que vocês me ajudem a tentar encontrá-lo. Imprimam e fixem o cartaz dele em hospitais psiquiátricos e abrigos de todo o Brasil. Eu não tenho condições de fazer isso. Peço a todos que tomarem esta atitude que enviem um e-mail para maesdobrasil@portalkids.org.br ou deixem um recado aqui nesta minha postagem para eu ter um retorno de onde o cartaz foi fixado. Obrigada, meus amigos!

Link do cartaz
http://www.portalkids.org.br/cartazes_pdf/cartaz%20Josemar.pdf

Nenhum comentário: